sábado, 15 de março de 2014

Circulação de táxi no corredor de ônibus fica proibida em horário de pico

Porém, taxistas poderão utilizar as faixas exclusivas de seis vias da cidade


Segundo Tatto (dir), a liberação da circulação é possível porque a velocidade dos ônibus está dentro do programado14.03.14


Taxistas não poderão circular nos corredores de ônibus de São Paulo durante o horário de pico, informou a Secretaria Municipal de Transportes nesta sexta-feira (14).

Segundo o secretário Jilmar Tatto, os táxis não poderão utilizar essas pistas das 6h às 9h e das 16h às 20h. Nos demais horários, é permitida a circulação, desde que estejam com passageiros.

A medida, adotada por recomendação do Ministério Público do Estado de São Paulo, entra em vigor na próxima segunda-feira (17). As multas para quem circular nos corredores nos horários proibidos só começarão a ser aplicadas em 14 de abril. Segundo Tatto, esse é o tempo de que a CET (Companhia de Engenharia de Tráfego) precisa para realizar as sinalizações.

Por outro lado, os táxis poderão circular em algumas faixas exclusivas para ônibus (as faixas ficam à direita, enquanto os corredores estão localizados à esquerda). Segundo o secretário Jilmar Tatto, apenas os taxistas com passageiros poderão transitar 24 horas pelas faixas das avenidas Sumaré, Indianópolis, Corifeu de Azevedo, do Corredor Norte-Sul e das marginais Pinheiros e Tietê.
De acordo com Tatto, como essas vias fazem ligações com terminais importantes da cidade, como os aeroportos de Congonhas e Cumbica, o Campo de Marte e o Terminal Rodoviário Jabaquara, a circulação dos táxis foi liberada.
Segundo o secretário, a medida foi possível porque a velocidade dos ônibus está dentro do planejado — 20 km/h — e a CET (Companhia de Engenharia de Tráfego) avaliou que era possível compartilhar a faixa com os táxis.
O secretário informou, ainda, que a medida pode ser tanto estendida para outras vias como revogada, caso não seja observado fluxo alto de táxis nesses locais.

— Estamos analisando atentamente a situação dos táxis e vamos monitorar a circulação. Se necessário, vamos restringi-la para priorizar o transporte coletivo. 

O promotor de Habitação e Urbanismo Maurício Ribeiro Lopes enfatizou que as medidas visam a atender os usuários de transporte público, "uma população completamente desarmada de regalias em São Paulo".

Nenhum comentário:

Postar um comentário